Ranking Enem: afinal, ele foi mesmo extinto? Entenda esse assunto

ranking-enem-afinal-ele-foi-mesmo-extinto-entenda-esse-assunto.jpeg

Até o ano passado, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) divulgava o ranking do Enem com a classificação das escolas particulares e públicas de acordo com a média das notas dos alunos participantes. A partir de 2017 esse dado não será mais divulgado pelo instituto.

Nesse post, você vai entender as motivações dessa mudança no ranking do Enem e conhecer as novidades do exame. Confira!

Saiba por que o ranking do Enem por escola não será divulgado

O MEC (Ministério da Educação) decidiu extinguir o ranking do Enem que classificava as escolas, pois a informação era utilizada de maneira equivocada pelas instituições de ensino.

Planejamento Pedagógico para 2018: confira o que não pode faltar

planejamento-pedagogico

O início de um novo ano representa o momento de implantar novas metodologias dentro da escola. Por isso, o ideal é que o planejamento pedagógico para 2018 seja iniciado com antecedência. Essa é a oportunidade para que gestores, professores e funcionários pensem juntos em ações para o próximo ciclo letivo.

A criação de objetivos e metas — individuais e coletivas — é fundamental para atingir bons resultados. O processo implica em tomar decisões, avaliar e corrigir estratégias que não deram certo em períodos anteriores, além de inovar.

Neste post, nós destacaremos alguns pontos importantes que o seu planejamento pedagógico deve contemplar. Acompanhe!

Avaliação diagnóstica: qual sua importância e como realizá-la

avaliacao-diagnostica-qual-sua-importancia-e-como-realizala.jpeg

Para garantir a qualidade do ensino e mantê-lo como referência, as escolas devem sempre buscar avaliar seus procedimentos. Isso porque uma avaliação permite identificar os pontos fortes e também aqueles que precisam de mais atenção para serem aperfeiçoados. O caso dos alunos não é diferente. Uma avaliação diagnóstica dos mesmos pode fazer toda a diferença para a obtenção de melhores resultados no processo de aprendizagem.

Afinal, para melhorar a apreensão dos diferentes conteúdos, resultando até em maior aprovação em exames e vestibulares, os professores precisam identificar quais áreas merecem a dedicação de seus esforços com mais afinco.

Uma avaliação diagnóstica, diferente de outros métodos avaliativos, permite a identificação desses pontos com antecedência, possibilitando que as escolas se organizem para promover melhorias contínuas.

Conheça agora um pouco mais sobre a importância de uma avaliação diagnóstica e as maneiras de colocá-la em prática.

Competências e habilidades: como ir além do ensino do conteúdo

competencias-e-habilidades-como-ir-alem-do-ensino-do-conteudo.jpeg

O mercado de trabalho, os arranjos familiares, as relações sociais e outros aspectos da sociedade estão se modificando por conta da tecnologia. Nesse contexto, a educação precisa se adequar a essa nova realidade e as competências e habilidades necessárias.

Isso significa que a escola precisa repensar o seu currículo atual, em que o professor domina o conhecimento e apenas repassa aos estudantes, os quais devem apenas assimilar ou decorar a informação. Hoje, esse conhecimento está acessível a qualquer pessoa com um smartphone, o saber não é mais um diferencial, mas sim saber como aplicar o conhecimento.

Por isso, é importante repensar o currículo que é voltado apenas ao conteúdo nas escolas tradicionais. Estados Unidos, Austrália e países da Europa, por exemplo, mantêm um currículo focado no desenvolvimento de competências e habilidades para se adaptarem à nova realidade.

Mas você sabe o que são competências e habilidades? Qual é a importância dessa mudança de currículo no processo educacional? Quer saber como é possível trabalhar esse novo currículo com os alunos? Continue lendo e confira!

Geração X, Y e Z na escola: como elas influenciam a educação

geracao-x-y-e-z-na-escola-como-elas-influenciam-a-educacao.jpeg

O ambiente escolar vem se reinventando a cada década e, consequentemente, sendo transformado pelos jovens que ingressam os estudos — eles trazem seus valores, tabus, opiniões, conhecimentos, dentre outros fatores que correspondem à cultura educacional.

A influência que a juventude exerce na sociedade é impressionante, porque é capaz de revolucionar conceitos e mostrar para os mais experientes o quanto seus padrões estão ultrapassados e precisam ser vistos de formas diferentes.

A geração Y na escola é uma ótima prova disso, afinal, eles são conhecidos como os “nativos digitais”, aqueles que nasceram no “boom” da tecnologia no Brasil. Só que para entender como eles atuam positivamente nas aulas, será preciso compreender as outras gerações também.

Confira um pouco sobre as gerações X, Y e Z e entenda suas características principais e como a escola poderá se beneficiar disso!