Um professor, quatro disciplinas e muita inspiração!

foto witter

No último dia 6 de Maio tive o prazer de conversar com o professor Witter Duarte Guerra, da escola Impacto, de Itumbiara – GO. Falamos de motivação, tecnologia e práticas pedagógicas. Witter é professor de ciências, física, biologia e química, tem 24 anos, pós-graduando em Metodologia do Ensino em Biologia e Química pela Universidade Cândido Mendes – UCAM, graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Luterana do Brasil – ILES/ULBRA. Witter inova bastante em sala de aula e ama muito o que faz. Acompanhe os principais pontos do nosso papo.

A vida em rede: sociedade conectada

Não é novidade que a internet modificou as relações sociais. Mudamos a nossa noção de poder e hierarquia, de público e privado e de produção e consumo. Já é possível comprar sem sair de casa, reivindicar por direitos sem sair do sofá, colaborar com pesquisas mundiais pela tela do computador, pois é, o quadrado é mágico mesmo, por meio da tela é possível estar em muitos lugares e se conectar a várias pessoas. Podemos dormir, mas continuamos acordados virtualmente, recebemos mensagens, conteúdos, ou seja, somos seres digitais e conectados.

Portanto, a tecnologia não é uma mera ferramenta ela muda toda uma concepção humana. Além de conectar as pessoas ela passou a conectar as coisas, tornou possível a comunicação simultânea, interativa e distributiva, isto é, a tecnologia conectando tudo o que existe. As geladeiras que já são capazes de pedir a comida que falta para o mercado virtual e rapidamente o produto é entregue em casa.

Entenda a sala de aula invertida

A sala de aula invertida ou flipped classroom é uma metodologia ativa que ressignifica o papel do aluno, do professor e da aprendizagem. Coloca o aluno no centro do processo ensino aprendizagem, como protagonista e, promove o desenvolvimento de uma aprendizagem ativa, investigativa e colaborativa.

O professor promove aos alunos um processo de aprendizagem contínuo, que acontece em diferentes espaços e possibilita ampliar seus estudos, conhecimentos, e ainda desenvolver habilidades de comunicação, gestão e autonomia. Neste novo formato de ensinar e aprender, os educadores são mediadores da aprendizagem e não detentores do conhecimento.

O que as escolas pensam sobre a vida virtual? [pesquisa/resultado]

Como os professores estão usando os recursos tecnológicos em sala de aula? Dentre as abordagens pedagógicas que fazem uso da internet, quais são as mais inspiradoras? E como está sendo o aproveitamento dos alunos? São estas questões que o levantamento realizado pelo QMágico, chamado Tendências da Vida Virtual na Educação (TVVE), está se propondo a responder.

Estamos coletando dados de adoção e uso de novas tecnologias em parceria com entidades públicas e privadas em todo país. Muitas escolas estão usando o relatório para evidenciar as práticas que funcionam melhor em suas instituições, pois oferecemos uma devolutiva para cada escola sobre sua vida virtual“, explica Thiago Feijão, criador do QMágico.

Big Data a serviço da educação

Big Data a serviço da educação

Quer saber como seu aluno estuda em casa? Quais suas preferências? Como ele aprende mais e melhor? Em 2014 com a vitória da seleção alemã na Copa do Mundo, muitos se perguntavam qual era a fórmula do sucesso. A resposta é simples: “[…] combine planejamento de longo prazo, disciplina, bons jogadores e … muita informação sobre o que acontece em campo” (ROSA, Guilherme, 2014)

Na educação não é muito diferente, basta combinar bons professores, alunos dedicados, planejamento de aula e estudo, disciplina e muita informação para atingir bons desempenhos e ter uma educação de qualidade. No entanto, como podemos conseguir esses dados?