Top 5 tendências de tecnologias para uso em educação

Muitos dirigentes e educadores me procuram para saber como tomar decisões sobre inovações em suas escolas quando surgem novas soluções diariamente na área de tecnologia educacional.

Reuni, neste artigo, 5 tendências e ações práticas embasados na pesquisa que Jane Hart publicou com o ranking das 100 ferramentas de aprendizagem mais usadas em 2015.

Em sua 9a edição, ela compilou votos de mais de 2.000 profissionais de educação ao redor do mundo e revela tendências interessantes da área com aplicações imediatas para escolas e professores.

Os resultados são surpreendentes!

 

Top ferramentas de aprendizagem 2015

Neste artigo procuramos elencar as cinco principais tendências e as ações práticas decorrentes delas para apoiar gestores e professores em suas decisões de inovação

 

1 – O uso da nuvem e das ferramentas na Internet vai crescer.

Nos últimos cinco anos, das cinco principais ferramentas no ranking de tecnologias para educação, quatro delas são ferramentas baseadas na internet. Todas elas de uso gratuito.

Tudo leva a crer que esta lista de aplicativos usados gratuitamente via internet vai aumentar significativamente nos próximos anos.
Recomendações práticas: 
As escolas devem intensificar a quantidade e qualidade das atividades na Internet, substituindo rotinas tradicionalmente feitas no mundo físico (tarefas de casa, simulados, apresentações em sala de aula) por atividades digitais.

As escolas devem intensificar a quantidade e qualidade das atividades na Internet, substituindo rotinas tradicionalmente feitas no mundo físico (tarefas de casa, simulados, apresentações em sala de aula) por atividades digitais.

 

2 – O futuro será cada vez mais incerto.

Ou seja, pare de tentar adivinhar o futuro e comece a seguir tendências.

60% de ferramentas listadas no TOP 5 em 2015 não eram consideradas entre as TOP 20 ferramentas em 2007.

A única certeza que temos é que novas ferramentas e novos usos para antigas ferramentas, surgirão todo ano e que as escolas devem se articular para organizar tudo isso.
Recomendações práticas: 
Alunos e professores usarão novos recursos sempre. A única preocupação de gestores e professores deve ser como organizar estes recursos e acompanhar seu uso.

Sites como escoladigital.org.br youtube.com/edu, entre tantos outros, estão cheios de conteúdos para serem usados por professores.

O uso de ferramentas como os Cadernos Digitais Inteligentes são perfeitas para professores e escolas organizarem materiais existentes para os alunos, bem como produzirem e disponibilizarem outros novos. Além disso, tanto alunos como pais e professores podem se beneficiar de diagnósticos em tempo real sobre o conhecimento dos alunos.

 

TVVE


3 – Professores e gestores tem que estar alinhados.

Existe um descompasso entre o que mostra o ranking de tendência de uso dos educadores dentro e fora de sala de aula e as tecnologias adotadas pelos gestores das escolas.

A maioria dos LMS surgiram a partir dos anos 90 e se configuravam como depositários de conteúdo, dependentes de infraestrutura e técnicos de informática para programar suas funções. Apesar de serem constantemente adaptados, não foram concebidos para um mundo web, entretanto, podem se integrar a ele.

Exigir que professores e alunos usem ferramentas antigas e se submetam a processos complicados e ultrapassados para publicar e interagir gera uma resistência desnecessária que deve acabar na medida que as gestões, pedagógica e administrativa, se aproximem.
Recomendações práticas: 
“Sunk cost” é a expressão utilizada para se referir a custos absolutamente irrecuperáveis de investimentos feitos no passado.

Esqueça-os!

Atualize suas opções de inovação e alinhe-as com o futuro. Invista na gestão pedagógica de sua instituição.

Se seus professores usam e-mail na nuvem e Facebook para vida pessoal, este pode ser um sinal de que gostariam de utilizar soluções simples e versáteis como essas também para ensinar.

Mais internet, vídeos do youtube, apresentações em slides, exercícios com correção automática e integração com aplicativos como o Google docs, esta é a tendência.

Uma pequena porcentagem de professores são autores, mas 92% dos professores usam a internet para preparar suas aulas

Escolha soluções de gestão de aprendizagem baseadas na web.

O uso de soluções educacionais semelhantes às utilizadas por professores e alunos em suas vidas pessoais diminuem muito os custos de implantação e formação de professores, além de melhorar a aprendizagem dos alunos e contribuir para o engajamento de todos

 

4 – Todos vão aprender em todo lugar.

O valor do conteúdo selecionado da web

Nos últimos três anos do ranking, e desde 2008, o mundo começou a viver (especialmente nos EUA) o movimento do mobile e de professores que podem conectar com os alunos a qualquer momento – criando/colaborando/trocando o tempo todo, dentro e fora de sala de aula.

As ferramentas de aprendizado mais usadas agora são ferramentas que permitem seleção de conteúdo, fontes de pesquisa e ferramentas de autoria (twitter, Youtube, Google, Gdocs e Powerpoint)
Recomendações práticas: 
Professores e gestores devem eleger soluções que permitam selecionar, organizar, distribuir e reutilizar, ano a ano, conteúdos e projetos que favoreçam a construção coletiva do saber.

Esta nova geração de soluções (evernotetrelloqmágico, etc..) permitem organizar, num só lugar, de maneira colaborativa, tudo que complementa a ação mediadora do professor, dentro e fora de sala de aula. Desta maneira, conteúdos que anteriormente “viviam” em pendrives de professores e alunos passam a residir em bibliotecas virtuais e cadernos colaborativos construídos em conjunto e compartilhadas local e nacionalmente, facilitando a gestão pedagógica.

 

5 – Tudo ficará mais inteligente em rede.

Repare que 4 das Top 5 ferramentas do ranking são utilizadas na web, na nuvem.

Por trás deste movimento, existe uma inteligência. Uma inteligência que adiciona valor conforme mais e mais usuários utilizam o sistema.

Para exemplificar, é como o WAZE. Quanto mais motoristas usam o sistema, mais inteligente ele fica pois analisa, através de seus algorítmos, os caminhos mais fáceis para se deslocar de um lugar a outro.

Os sistemas de aprendizagem que romperam a barreira dos testes e instrução personalizados trazem dados sobre o processo de aprendizagem e permitem que a própria rede determine os pontos mais relevantes para ensinar e aprender determinados tópicos. O caminho mais curto entre o ensinar e o aprender.

Recomendações práticas: Prepare sua infraestrutura para a web, aumente a banda larga de sua instituição e o acesso wi-fi de sua escola.

Transforme um espaço de sua escola em sala de aula inovadora. Disponibilize acesso à internet, TVs LED, pufs, tablets, acesso à smartfones como espaço de pesquisa e projetos alternativos.

Programe uma visita semanal ou quinzenal de cada professor a este espaço. Isso prepara seus alunos e equipes para novos espaços de aprendizagem.

Estimule a sala de aula invertida e acompanhe o progresso de alunos e professores.


CONCLUSÃO

  1. Daqui em diante, mais e mais soluções de tecnologia educacional serão webbased, ou seja, rodarão na nuvem;
  2. Professores e alunos são os principais agentes mediadores de conteúdos disponíveis na internet;
  3. É importante pensar grande, mas começar pequeno e andar rápido: implante soluções de tecnologia educacional concomitantemente às práticas atuais para organizar, distribuir e diagnosticar o uso de sequências pedagógicas por professores e alunos de sua escola;
  4. O “longo caminho curto” maximiza o retorno: resista às soluções prontas, que deixam o professor à margem do processo. Entrem juntos na rotina dos professores. Dá mais trabalho, mas os efeitos são duradouros;
  5. Faça já! Já está na hora de começar a gestão do aprendizado além de provas, testes e avaliações tradicionais, não?

 

Se você é diretor ou coordenador e gostaria de saber mais como inovar sua escola, clique aqui!

Alvaro-foto

Alvaro Cruz  é diretor de inovação do QMágico e ajudou a desenvolver os Cadernos Digitais Inteligentes que ajudam milhares de professores de todo país a organizar, selecionar e criar materiais para uso e diagnósticos com seus alunos. Foi CEO e Diretor de empresas e Institutos como a LEGO zi, Pitágoras e Mindlab. É também autor de livros e publicações em revistas de educação.

As Innovation director at QMágico, Alvaro leads the development of Smart Web Notepads,  helping thousands of teachers across the country to organize, select and create materials and educational diagnostics for students. He is a former CEO and Director of companies such as LEGO zi , Pitagoras and Mindlab. He is also an author of books and publications in educational magazines and blogs.