Metodologia de ensino: como debates na sala de aula podem ajudar

Depositphotos_4758023_m-2015.jpg.jpeg

O mundo está se modernizando bem rápido e as tecnologias têm se desenvolvido em uma velocidade estarrecedora. Para se adaptar aos novos tempos, as pessoas acabam modificando hábitos e costumes. Por essa razão, a educação se vê forçada a acompanhar essas mudanças e lidar com alunos que preferem seus celulares à escola.

Algo que tira o sono dos professores é aprender a cativar os alunos, mantendo-os interessados no conteúdo ministrado e conscientes da importância dos estudos em suas vidas. Como podemos fazer da sala de aula uma extensão do universo dos alunos? A solução, sem dúvida, está relacionada ao tipo de metodologia de ensino empregada.

Confira neste artigo como os debates em sala de aula podem ser incluídos na didática e ajudam a cativar os alunos de todas as idades, desde a base até o ensino médio. Continue lendo!

De que modo o professor pode guiar o conhecimento?

Seja aluno ou professor, é preciso aprender a lidar com a nova realidade. Foi-se o tempo em que aula boa era puramente expositiva, em que o docente “depositava” o conhecimento na cabeça dos jovens, cujo papel era manterem-se passivos e livres de reflexões mais profundas.

Hoje, por meio da internet, os alunos de qualquer idade têm acesso a conteúdos diversificados e que, muitas vezes, são disponibilizados de forma muito mais dinâmica e atrativa se comparadas às aulas que utilizam apenas o giz e o quadro negro como ferramenta.

Além disso, a pluralidade de material encontrado na internet mostra como esse meio virtual pode ser uma fonte plural de explicações para o mesmo conteúdo. Isso ajuda o aluno que não compreende a matéria com uma determinada forma de explicação, pois ele pode encontrar outro modo que o faça entender melhor.

Nesse processo de ensino e aprendizagem, o papel do professor é ser um facilitador, estimulando os estudantes para que atinjam e, se possível, superem os objetivos propostos. Por essa razão, a preparação do docente para guiar os jovens, por meio de fontes relevantes e confiáveis no mundo virtual, é essencial.

Já o aluno deve ser ativo na construção do seu conhecimento, pois pode (e deve!) questionar, aprimorar a sua argumentação e, dessa forma, construir com todos em sala de aula o conhecimento por meio do compartilhamento do seu próprio saber e das suas vivências. Nesse cenário, usar o debate na metodologia de ensino é algo extremamente benéfico! E por falar em debate…

Qual é o papel dos debates no estudo?

A educação precisa fornecer a base necessária para que as crianças e os adolescentes desenvolvam habilidades e comportamentos que serão úteis na prática durante suas vidas e, dessa forma, colaborar para o desenvolvimento da cidadania.

Como exemplo, os debates na sala de aula desenvolvem habilidades que são exigidas pelo mercado de trabalho e dão a possibilidade de trabalhar a timidez dos alunos assim como o medo daqueles que têm dificuldades de expressar as suas opiniões em público.

Além disso, as discussões possibilitam a organização de ideias por parte do estudante e estimula a pesquisa por novos referenciais, ampliando o conhecimento e, como consequência, o poder de reflexão e a capacidade de argumentação. Até para crianças essa metodologia ajuda na ordenação do pensamento e principalmente no desenvolvimento da linguagem oral.

Quando o professor possibilita a discussão em sala de aula, o conhecimento dos alunos é valorizado. Assim eles percebem que suas experiências e conhecimentos prévios também são importantes para a construção do conhecimento do grupo.

Com isso, os estudantes compreendem que um debate não é a imposição de ideias, gerando brigas e agressões, mas sim, a troca de posicionamentos e argumentos. Essa visão muda a relação entre os alunos e cria a empatia destes com as diversas opiniões que podem ocorrer sobre determinados temas.

Esse é um passo importante na formação de crianças e adolescentes. A possibilidade de perceberem que a realidade não é uma relação binária (certo e errado) e dicotômica (bem e mal), mas que existem vários argumentos que sustentam as ideias e que sempre devem ser respeitados, mas que podem ser discutidos.

Essa metodologia de ensino aproxima professores e alunos e faz com que todos entendam melhor as visões de mundo uns dos outros. Os estudantes passam a perceber que não é o professor quem “dá” a aula, mas que todos contribuem para a construção do conhecimento.

Assim, promover debates na sala de aula é uma das iniciativas mais inteligentes e produtivas que uma escola pode adotar.

Como incorporar os debates na sala de aula?

As discussões podem acontecer durante as aulas de quaisquer disciplinas. O professor pode optar por fazer uma lista com temas — que devem se relacionar com a realidade e a faixa etária dos alunos para que o debate faça sentido — e então fazer uma votação em sala de aula.

Os assuntos podem ser escolhidos entre aqueles dos livros didáticos que devem ser utilizados durante o período letivo ou, ainda, aproveitar temas que estão em destaque na mídia e já estão sendo debatidos naturalmente pelos alunos.

Por exemplo, em épocas de olimpíadas ou copa do mundo é possível trazer determinados assuntos para sala de aula — como a história de algum esporte, a relevância de determinada modalidade para um país ou a importância da disciplina para os atletas.

Outro exemplo do dia a dia que pode ser tema de debate e enriquecer os estudos são as questões políticas, econômicas e de comportamento que estão sendo realçadas pelos meios de comunicação.

A possibilidade de escolha por parte do discente faz aumentar o engajamento dos estudantes nas pesquisas preparatórias para a discussão e, consequentemente, no próprio debate. O papel do professor será mediar a discussão, estimulando a participação de todos — gerenciando a exaltação de alguns alunos, assim como a omissão de outros.

Isso não significa que o docente não deva participar da discussão em si e só escutar o que os alunos têm a dizer. É importante que ele se coloque em alguns momentos fazendo um apanhado do que tem sido discutido. Podendo também trazer a visão de diferentes especialistas na área para o debate e  incentivando os alunos a desenvolverem questões que não ficaram bem fundamentadas.

Se possível, permita que os estudantes se preparem previamente para se sentirem mais seguros e participarem ativamente do debate. O professor pode sugerir uma série de materiais para que a turma se familiarize com os temas que estarão em pauta.

Essa estratégia está relacionada com a metodologia da sala de aula invertida, que favorece uma postura mais interativa e incentiva a participação dos alunos. A turma estuda os temas em casa, e quando os estudantes chegam em sala de aula, estão cheios de questionamentos e ideias que enriquecerão a discussão.

O professor também pode utilizar as ferramentas tecnológicas ao seu favor, criando ambientes virtuais em que os conteúdos didáticos necessários para uma pesquisa básica possam ser organizados de acordo com o tema e acessados pelo aluno.  A plataforma QMágico, possibilita essa experiência.

Assim, os alunos têm acesso aos materiais necessários a partir de uma experiência de aprendizagem mais moderna e eficiente.

Quando o professor está aberto ao diálogo em sala de aula, os resultados positivos são visíveis: alunos mais motivados, engajados e com melhor desempenho acadêmico. Por isso, encoraje o profissional a usar a criatividade e colocar em prática atividades que incentivem os alunos a se tornarem mais ativos e confiantes!

Favoreça o debate, a troca de conhecimentos e use a tecnologia em prol do aprendizado. Isso fará com que a escola faça sentido aos alunos, pois terá relação com a realidade deles.

Você quer ou já estimula os professores a incorporarem tecnologias e debates em sala de aula na metodologia de ensino? Se você precisa de mais informações sobre as vantagens e as possíveis formas de utilizar essas ferramentas, baixe nosso e-book sobre gamificação e ensino!

CaDi