Base nacional comum curricular: o que muda com a aprovação da nova diretriz

Base nacional comum curricular: o que muda com a aprovação da nova diretriz

Base nacional comum curricular: o que muda com a aprovação da nova diretriz

A sua escola está se preparando para as adequações à nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC)? Em processo de análise, a nova proposta irá definir as 10 competências que os alunos precisarão desenvolver em sala de aula. O texto final ainda não está definido, mas, mesmo assim, você já pode discutir os principais eixos com a sua equipe de professores.

A Base Nacional Comum não acarretará, necessariamente, em uma troca de currículo. Porém, as escolas, tanto públicas quanto particulares, precisarão garantir que seus estudantes recebam os conhecimentos e habilidades definidas durante os anos escolares. Quer saber mais? Então leia o post que preparamos e leve-o para a sua escola!

 

O que é a Base Nacional Comum Curricular?

Em discussão, desde 2015, a Base Nacional Comum Curricular é um documento que centralizará todas as competências e habilidades que deverão ser dominadas pelos estudantes ao longo da vida escolar. Os textos da nova base para o Ensino Infantil e Fundamental já estão em sua terceira versão, após consulta com professores e especialistas.

Os textos referentes ao Ensino Médio, em função da reforma que esta etapa de ensino sofrerá, ainda está em estudo e deverá ser apresentado uma primeira versão até o fim de 2017.

Não há data definitiva para implementação da BNCC. O documento está em análise do Conselho Nacional de Educação, e somente depois de aprovado, será homologado. A partir da homologação que as escolas terão o prazo de 2 anos para fazer as adequações curriculares.

Mas o que muda com a implementação da BNCC?

Ensino Infantil e Fundamental não necessitam de grandes alterações no currículo. No caso do Ensino Médio, algumas mudanças estão previstas na reforma, que ainda está em discussão.

Mas, de acordo com a BNCC, para o Ensino Médio, três disciplinas permanecerão obrigatórias, são elas: Língua Portuguesa, Matemática e Inglês. Outros componentes serão obrigatórios, mas estão em fase de definição. O aluno terá 60% de matérias obrigatórias, e poderá escolher as 40% restantes.

Quais são as 10 competências a ser desenvolvidas pelos alunos?

Se não muda o currículo, então o que a BNCC traz de novidade? A inclusão do conceito de competências, que os alunos deverão dominar, ao longo da educação básica. São elas:

  • Entender e explicar a realidade atual através dos conhecimentos historicamente construídos;
  • Exercitar a curiosidade intelectual e buscar soluções no conhecimento, por conta própria;
  • Desenvolver o senso estético para apreciar obras de expressão artística e cultural;
  • Utilizar as linguagens – verbal, científica, tecnológica, digital – para se expressar e trocar informações;
  • Compreender e fazer uso crítico e produtivo das tecnologias digitais disponíveis;
  • Entender e reconhecer as suas capacidades relacionadas ao mercado de trabalho;
  • Argumentar com base em fatos concretos e confiáveis em nome da defesa do ser humano e do meio ambiente;
  • Desenvolver autoestima e aprender a cuidar de sua saúde;
  • Exercer a empatia, o diálogo e a convivência com pessoas dos mais diferentes grupos sociais, origens e orientações;
  • Agir com autonomia e responsabilidade, tomando decisões éticas e comprometidas com o bem comum.

 

<Não deixe de conferir nosso infográfico gratuito sobre as novas competências, clique aqui!>

 

A BNCC invalidará as atuais diretrizes curriculares?

Não. A nova base deverá conviver com a Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) e diretrizes curriculares (DCN). Na verdade, a BNCC é um complemento, dando mais clareza e profundidade aos objetivos que o currículo precisa atingir.

E o que se pode esperar com a BNCC?

A alfabetização plena deverá ser atingida até o segundo ano do ensino fundamental. Atualmente, esta previsão é até o terceiro. Além disso, o conteúdo de história passa a ser organizado de acordo com a cronologia dos fatos.

O ensino religioso não consta na terceira versão da BNCC, cabendo aos sistemas estadual e municipal de ensino definir se a disciplina será integrada ou não ao currículo.

O inglês, na atual versão da BNCC, será o idioma estrangeiro obrigatório, a ser implementado a partir do sexto ano do ensino fundamental. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação no Brasil (LDB) obriga a oferta do ensino de uma segunda língua, mas não define qual.

E a sua escola, está se preparando para as mudanças da Base Nacional Comum Curricular? O que você pensa sobre essas novas diretrizes? Deixe seu comentário no blog!