Educação

Campanha de rematrícula: descubra como manter alunos e pais

55255-campanha-de-rematricula-descubra-como-manter-alunos-e-pais
Manter o relacionamento entre a família e a escola durante todo o período de aprendizado é uma tarefa difícil. Por se tratar de um serviço de longa duração e que está em um ramo de ampla concorrência, muitos alunos acabam deixando as instituições onde estudavam para completar os estudos em um novo local.

Mas uma campanha de rematrícula bem elaborada pode resolver essa questão e trazer avanços e melhorias à escola. Para fidelizar pais e alunos, todas as partes devem estar satisfeitas. Enquanto as crianças e adolescentes buscam, em geral, manter boas relações de amizade e bom convívio com os professores, os pais desejam que seus filhos conquistem o melhor aprendizado e uma boa base psicossocial.

Se você pretende conquistar pais e alunos para garantir bons resultados em sua instituição, confira agora a melhor maneira de realizar uma campanha de rematrícula.

4 métodos para acompanhar os seus alunos!

4-metodos-para-acompanhar-os-seus-alunos.jpeg

Você consegue fugir do lugar-comum ao falar de sua rotina de professor? Pilhas de provas para corrigir, preenchimentos de relatórios, lidar com dificuldades de turmas heterogêneas, detectar alguns casos recorrentes de cola nas avaliações. Isso só para começar!

E qual pode ser a solução para administrar tantas informações, considerando, ao mesmo tempo, as necessidades dos alunos, as expectativas dos responsáveis e as diretrizes de cada escola? Uma maneira de melhorar a rotina docente — e também a qualidade de vida — é o uso da tecnologia na educação.

Continue a leitura deste artigo e saiba 4 métodos para acompanhar os seus alunos, tendo a tecnologia na educação como sua aliada!

Família na escola: como melhorar a relação pais-professores?

familia-na-escola-como-melhorar-a-relacao-paisprofessores.jpeg

 

A tecnologia veio para revolucionar e facilitar a vida do ser humano no dia a dia. No entanto, o professor enfrenta um novo desafio: ser mais interessante do que o computador ou o smartphone para os alunos e estreitar laços com a família na escola.

E se não há como evitar a presença de aparelhos digitais em sala de aula, por que não utilizá-los a seu favor? Planejar aulas dinâmicas e propor um aprendizado diferenciado nunca foi tão acessível como agora, basta estar disposto a novas e efetivas mudanças.

O apoio e a presença da família na vida escolar do aluno são fundamentais no processo de aprendizagem. Por isso, é necessário mostrar aos pais a importância deles no desenvolvimento dos filhos na escola e em casa. Para melhorar a comunicação dos professores com os pais e incentivar a presença da família na escola, separamos uma lista com dicas incríveis para os professores que desejam o melhor para os seus alunos. Confira!

O que é preciso para melhorar a motivação e aprendizagem de jovens?

o-que-e-preciso-para-melhorar-a-motivacao-e-aprendizagem-de-jovens27300

 

Sempre acreditamos que aprendemos melhor nos nossos primeiros anos de vida, época na qual nosso cérebro está se desenvolvendo da maneira mais rápida. Contudo, pesquisas sugerem que o período de aprendizado ideal encontra-se na adolescência.

Esse não é apenas um período de mudanças físicas, mas aquele em que começamos a traçar nossos papéis sociais, valores morais e éticos. Dessa forma, a adolescência é uma ótima fase para motivação e aprendizagem.

Existe, nessa idade, um forte engajamento no intuito de alcançarmos objetivos movidos pela busca de identidade e um grande sentimento de desejo. Para melhorar esses fatores dentre os jovens, algumas dicas são de grande ajuda. Sendo assim, acompanhe o post de hoje para saber mais.

Recursos tecnológicos na rotina escolar do professor

A utilização de recursos tecnológicos na educação é uma realidade cada vez mais crescente nas escolas em todo o Brasil. Dados do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) revelam que em 2004, 58,2%, dos 7,9 milhões dos estudantes do ensino médio do sistema público, frequentavam escolas com laboratório de informática e 53% estavam matriculados em estabelecimentos ligados à Internet. Cinco anos antes, em 1999, quando a rede pública tinha 6,5 milhões de matrículas, esses índices eram de 46% e 14,2%, respectivamente.

O Nordeste foi a região onde o percentual de estudantes em escolas com acesso às novas tecnologias mais aumentou. Em 1999, o percentual de escolas com acesso à internet passou de 6,1% para 44,8%.