Escola

O que é educação baseada em evidências?

 

O que sabemos a respeito do que realmente funciona em educação, para além da percepção dos educadores e mitos que circulam dentro das instituições de ensino? Para elucidar essa questão, hoje, a Tuneduc vai te ajudar a compreender como a educação baseada em evidências pode nos levar para longe das crenças comuns que rondam escolas e políticas públicas.

 

Educação baseada em evidência

A educação baseada em evidências apresenta conclusões científicas para tomada de decisão em temas centrais da educação, por meio de estudos sólidos e instrumentos estatísticos. Ou seja, usa-se pesquisas, análises de causa-efeito, tratamento de dados e principalmente dados de avaliações (internas ou externas) para justificar mudanças e melhorias no âmbito escolar.

É importante lembrarmos que a internet abriu espaço para uma infinidade de novos dados e seu uso qualificado para ofertas mais adequadas – dos produtos que são oferecidos a você por meio de publicidade aos filmes que o Netflix te sugere. O campo dos negócios e da propaganda já é data driven, ou seja, guiado por dados. Nos próximos parágrafos, vamos explicar por que sua escola também deveria ser.

Nos últimos anos, diversos pesquisadores desenvolveram estudos e ferramentas que servem de subsídio para embasar decisões em nível macro, com a elaboração de políticas públicas, ou em micro, auxiliando as práticas pedagógicas de sala de aula.    

Todas essas camadas de evidências e estudos permite que  professores, gestores e responsáveis pelas políticas em educação tomem decisões bem fundamentadas e com maior chance de produzir impacto positivo na aprendizagem dos alunos, na escola e no bom uso de recursos para a educação.

Na prática

Quantas vezes você já ouviu falar que turmas menores aumentam o desempenho dos alunos? Mas será que essa afirmação se sustenta se analisarmos dados de desempenho comparando turmas, séries, períodos e demais fatores envolvidos no ambiente escolar? E se você diminuir todas as turmas da sua escola e perceber que, diferente do óbvio, seus alunos tiveram desempenho pior?

Outro bom exemplo, agora aplicado à gestão estratégica, são as instituições que usam dados e evidências para potencializar a captação de alunos, tornando esse processo muito menos doloroso.

Ao invés de fazer publicidade sobre a escola em qualquer lugar, essas instituições mapeiam bairros com crianças em idade escolar compatível com o ciclo que ela atende e renda familiar adequada ao valor da mensalidade. Debruçar-se sobre os dados de migração de alunos (com atenção especial às séries com evasão e escolas concorrentes) também é essencial para usar dados para mitigar a saída de alunos da sua instituição.

tuneduc

Hoje existem plataformas que utilizam dados público do Censo Escolas e Censo populacional que sistematizam e fornecem essas informações, por exemplo, o GeoEscola. Esse tipo de ferramenta é essencial para gestores e mantenedores que queiram iniciar uma gestão baseada em evidências.

Conclusão

Como disse o físico William Thomson, “Aquilo que não se pode medir, não se pode melhorar”. Sua mensagem é clara: quando não conseguimos medir um fenômeno (que pode ser o desempenho dos alunos, a eficiência de uma campanha de marketing ou os benefícios da adoção de certa metodologia na escola, por exemplo), não é possível “melhorar” nada. Se o balizador dessa melhora é apenas o nosso “achismo”, é sempre mais difícil (e duvidoso) avaliar a qualidade das nossas decisões. Por isso, cada vez mais escolas têm utilizado indicadores e dados para embasar sua tomada de decisões.

Amanda Bozza faz parte de equipe de marketing da Tuneduc.

4 dicas para se preparar para o ano letivo de 2018

4-ideias-sobre-como-se-preparar-para-o-ano-letivo-de-2018.jpeg

Com a chegada do fim de ano, é sempre bom lembrar que, depois das festas e comemorações, você precisa se preparar para o ano letivo de 2018. E, quanto antes você puder começar o seu planejamento, melhor.

Há várias maneiras de se preparar, sendo que algumas delas variam um pouco de acordo com o ano letivo dos alunos em questão. Mas há várias atitudes gerais que você pode tomar para melhorar o início das aulas em 2018 para alunos, pais e professores.

Para ajudar nessa tarefa, trouxemos aqui 4 ideias que você pode usar para se preparar para o ano letivo. Acompanhe!

1. Monte uma recepção para pais e alunos

Acreditamos que uma boa forma de aproximar os alunos, os pais e a instituição de ensino é ter um evento de recepção logo antes do início das aulas. Uma grande reunião em que os profissionais da escola possam comentar um pouco sobre sua visão para o ano que se inicia, estimulando que os pais façam perguntas e as crianças comecem a interagir.

Lembre-se de que essa recepção não é uma palestra ou reunião. Tente evitar muitos detalhes e transmita apenas os pontos centrais, partindo para algo mais lúdico, como um filme ou rodas de conversas. Isso facilitará bastante o trabalho dos professores no começo do ano.

2. Faça aulas inaugurais interessantes

Ao se preparar para o ano letivo, você deve ter tentado imaginar como os professores poderiam capturar a atenção dos alunos nos primeiros dias. Uma forma de fazer isso é por meio de aulas inaugurais mais abertas, divertidas, não tão focadas no conteúdo bruto da grade curricular.

Sempre há algo interessante para se fazer em uma primeira aula, como explorar um evento histórico, montar um experimento químico ou usar geometria para fazer origamis. Com um pouco de imaginação, é possível passar uma boa imagem nos dias iniciais.

3. Divulgue os contatos mais importantes

Em qualquer instituição de ensino, é importante que a escola esteja aberta ao diálogo com os pais a qualquer momento. O mesmo vale para áreas como a coordenação, enfermagem, entre outros. Os responsáveis precisam ter um canal aberto para entrar em contato com você e sentirem-se, assim, mais seguros.

Dessa forma, ao se preparar para o ano letivo e para os seus desafios, tenha certeza de enviar tais informações para os pais de todos os alunos matriculados. Isso facilitará a solução de dúvidas no futuro, além de melhorar o seu contato com eles sempre que for necessário.

4. Tenha planos para engajar os alunos na escola

Ao desenvolver o calendário escolar, é sempre bom incluir alguns eventos que chamem a atenção dos seus alunos. Teatro, feiras de ciências, produção cinematográfica etc. Além de serem ótimas formas de chamar mais atenção para sua escola, elas também dão a alguns professores um foco no qual trabalhar suas aulas e conteúdos.

Agora que você tem essas dicas, é hora de usá-las para se preparar para o ano letivo de 2018. E se você quiser melhorar ainda mais o seu planejamento, nós podemos ajudá-lo. Entre em contato com a QMágico e veja como nossa plataforma de educação complementar pode auxiliar no seu trabalho!

Você sabe como divulgar sua escola nas redes sociais?

5-dicas-para-captacao-de-alunos-pelo-facebook.jpeg

Para divulgar qualquer produto ou empresa, na era das redes sociais, é impossível ignorar o marketing digital. Uma instituição de ensino não é diferente, já que manter uma boa relação com pais e alunos, divulgar novidades e fortalecer o nome da escola é muito importante para seu crescimento. Mas será que você sabe como divulgar a escola nas redes sociais?

Utilizar canais de grande alcance, como Twitter, Facebook, Instagram e até outras redes pode ser muito vantajoso para promover um diálogo transparente com a comunidade escolar.

Então veja agora quais estratégias são boas para a divulgação de sua escola nas redes sociais, captação de novos alunos e um relacionamento duradouro com os pais e responsáveis.

Como se preparar para os desafios da escola do século XXI

escola do século XXI

O quadro e o giz substituídos por uma tela sensível ao toque, alunos com pouco foco de atenção, a exigência por aulas mais participativas, professores mais atualizados. Essas são algumas das transformações que a escola do século XXI estabeleceu.

As principais mudanças ocorridas na escola são do âmbito tecnológico, didático e comportamental, que alteram consideravelmente a maneira de ensinar. Para acompanhar essa nova escola, algumas estratégias devem ser tomadas.

Você pode, por exemplo, garantir maior participação dos alunos e fazer com que os professores não fiquem atrasados em relação às novidades que chegam no mundo educacional o tempo todo.

Quer saber mais? No post de hoje, trazemos as 3 melhores maneiras de adaptar-se à escola do século XXI. Continue a leitura, acompanhe as mudanças e se prepare para a constante transformação do ensino!

Metodologia de ensino: como debates na sala de aula podem ajudar

Depositphotos_4758023_m-2015.jpg.jpeg

O mundo está se modernizando bem rápido e as tecnologias têm se desenvolvido em uma velocidade estarrecedora. Para se adaptar aos novos tempos, as pessoas acabam modificando hábitos e costumes. Por essa razão, a educação se vê forçada a acompanhar essas mudanças e lidar com alunos que preferem seus celulares à escola.

Algo que tira o sono dos professores é aprender a cativar os alunos, mantendo-os interessados no conteúdo ministrado e conscientes da importância dos estudos em suas vidas. Como podemos fazer da sala de aula uma extensão do universo dos alunos? A solução, sem dúvida, está relacionada ao tipo de metodologia de ensino empregada.

Confira neste artigo como os debates em sala de aula podem ser incluídos na didática e ajudam a cativar os alunos de todas as idades, desde a base até o ensino médio. Continue lendo!